quarta-feira, 20 de março de 2013

Falácia de relavância: 3. Argumentum ad hominem (circunstancial)

Este tipo de falácia diz respeito às relações entre as convicções de uma pessoa e as suas circunstâncias.

Numa disputa entre duas pessoas, uma delas pode ignorar a verdade ou falsidade de suas afirmações e tentar provar que seu antagonista deve aceitá-las por causa das circunstâncias especiais em que este se encontra.


Por exemplo, se um deles é sacerdote, o outro pode alegar que uma certa afirmação dever ser aceita, porque a sua negação é incompatível com as sagradas escrituras.

Mas vejamos o exemplo clássico: o caçador, quando acusado de bárbaro ao sacrificar animais inofensivos para a sua diversão, responde perguntando “por que se alimenta o senhor com carne de gado inocente?”

Observe que o esportista, com sagacidade, não procura demonstrar que é correto sacrificar a vida de animais para satisfação dos prazeres humanos, mas simplesmente que seu crítico não pode recriminá-lo por não ser vegetariano.

Na maioria das vezes estes argumentos são muito persuasivos.